Governador amplia toque de recolher para tentar reduzir crescimento dos números do Covid-19

Ao informar que todos leitos das unidades de saúde da capital estão praticamente ocupados com pacientes com Covid-19 e há 584 na fila de esperar para internação, o governador do Estado, Wilson Lima, assinou decreto estabeleceu novos horários com mais restrições para a circulação de pessoas em supermercados, feiras, restaurantes e padarias, assim com o transporte público.

O decreto começa a valer a parir da próxima segunda-feira (25/01) para todo o Estado e define que o funcionamento das feiras e mercados será de 4h às 8h, restaurantes e padarias devem funcionar pelo sistema de delivery.

Os supermercados poderão ficar abertos de 6h às 19h limitados a venda de produtos essenciais como alimentação, bebidas, produtos de higiene pessoal e limpeza e com apenas uma pessoa de cada família, visando não gerar aglomeração. As farmácias poderão abrir 24h.

As indústrias poderão funcionar por 12hs e obras e serviços de engenharia apenas para a área da saúde, assim como o transporte para circulação de insumos e transporte de funcionários apenas das áreas essenciais.

Ao negar a imposição de lockdown, o governador pediu, no entanto, que as pessoas saiam apenas para o devidamente necessário, diante do crescimento do número de pessoas infectadas tanto na capital e interior.

O governador lamentou a morte da diretora da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Rosemary Pinto, considerada pelos profissionais da saúde uma bússola a orientá-los nos procedimentos de combate ao Covid-19. Em homenagem a ela, Lima pediu respeito às medidas tomadas.

Leitos ocupados

O secretário de saúde do Estado, Marcellus Campêlo da SES, informou que 100% dos leitos dos prontos-socorros e demais unidades de saúde já estão ocupados, tanto na rede pública quanto na privada. E há ainda a preocupação com o crescente número de casos no interior, mesmo com a implementação de leitos, cujo número foi quintuplicado na última semana.

Com uma taxa de 1.3 de transmissibilidade, significa que cada grupo de 100 pessoas infectadas com coronavírus, pode contaminar 130 pessoas. “Há ainda a preocupação com o interior, onde a taxa de crescimento chegou a 140% na última semana”, explicou o secretário.

Campêlo confirmou dois casos de reinfecção e disse não ter ainda estudos para comprovar outros, mas que essa possiblidade é real. Além disso, o rápido crescimento do número de casos no interior é um indicador de que o sistema será pressionado por vagas, que estão sendo criadas, mas não serão suficientes.

De acordo com o secretário, mesmo com a criação de leitos e transferência de pacientes para outros estados, é preocupante saber da existência de 584 pessoas na fila para internação e dessas, 101 são para leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). “Algumas dessas pessoas estão em SPAs, Upas, salas rosas, mas muitas ficam em casa”, disse ele, ao chamar a atenção para a necessidade de reforçar o isolamento social.

O governador anunciou ainda a vinda de remessas de oxigênio e também de 132,5 mil novas vacinas, que vão atender os demais profissionais de saúde ainda não vacinados com primeiros lotes e os idosos acima de 74 anos.

O Estado também vai liberar R$ 100 milhões para os municípios que neste momento em que estão com custo elevado e, de acordo com o governador, faz parte do esforço para tentar quebrar a taxa de transmissão do Covid-19.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.