SUS: Cuida Mais Brasil qualificará pediatras, ginecologistas e obstetras

Para fortalecer a assistência à saúde materno-infantil, o Programa Cuida Mais Brasil vai qualificar os atendimentos realizados pelas equipes de saúde com o apoio de pediatras e ginecologistas-obstetras na Atenção Primária à Saúde (APS). Em 2022, serão disponibilizados R$ 169,6 milhões aos municípios. Os recursos também devem ser aplicados para ampliar o quadro de profissionais dessas especialidades nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do País. 

Segundo o Ministério da Saúde, são 5,6 mil pediatras vinculados diretamente a 1,3 mil equipes, sendo que o modelo de financiamento do programa por desempenho assistencial pode resultar na atuação mais qualificada desses médicos junto a 8,1 mil grupos. O cenário de ginecologistas/obstetras é semelhante. São 5,3 mil vinculados diretamente a 1,3 mil grupos de trabalho de saúde. Com o Cuida Mais Brasil, há possibilidade de os especialistas atenderem a 7,4 mil equipes.

A meta do governo federal é prestar assistência em todas as regiões brasileiras. “Na Atenção Primária à Saúde, a ideia é que a gente reforce não só quantitativa, mas também qualitativamente. Nos lugares onde já existem esses profissionais, esse incentivo vai apoiar financeiramente os municípios a ampliar o acesso, que já existe hoje”, explica Renata Maria de Oliveira Costa, diretora do Departamento de Saúde da Família (DESF), do Ministério da Saúde.

Entre 2019 e 2020, o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) notificou 3,5 mil óbitos maternos. No mesmo período, as mortes relacionadas a causas obstétricas diretas, como hipertensão e hemorragia, somam pouco mais de 2 mil. “É uma triste realidade em relação à mortalidade materno-infantil no nosso país. O Cuida Mais Brasil é um programa que vem nos ajudar bastante a enfrentar essa realidade”, aponta a gestora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.